Google estende trabalho remoto até julho de 2021 como opcional

Decisão foi motivada pela pandemia do coronavírus e afetará quase todos os funcionários em tempo integral ou contratados pela empresa matriz Alphabet, cerca de 200.000 no total. Logotipo do Google estampa parede do escritório da empresa em Tel Aviv, em Israel. Baz Ratner / Reuters A gigante americana da internet Google estenderá até julho de 2021 o trabalho remoto de toda a sua equipe diante das perspectivas de evolução da pandemia de coronavírus, de acordo com informações do Wall Street Journal publicadas nesta segunda-feira (27). A decisão de ampliar o home office afetará quase todos os funcionários em tempo integral ou contratados pela empresa matriz Alphabet, cerca de 200.000 no total, afirmou o jornal, citando fontes próximas ao assunto. A informação foi confirmada pela empresa ao G1. Em um e-mail enviado para os funcionários esta manhã, o CEO do Google, Sundar Pichai, escreveu que "para oferecer aos funcionários a capacidade de se planejar com antecedência, estendemos a opção global de trabalho de casa até 30 de junho de 2021 para funções que não precisam estar no escritório." A recomendação prévia do Google era permitir que seus funcionários trabalhassem de casa até o final de 2020. A empresa ressalta que essa é uma medida opcional e afeta também os 1.000 empregados da companhia no Brasil. No momento, o Google ainda não tem previsão de reabertura de seu espaço no país. Segundo o Wall Street Journal, Pichai quer principalmente facilitar a situação para quem precisa estar com os filhos em casa, já que o funcionamento das escolas no começo do ano escolar e durante o resto do curso continua incerto em todas as partes do mundo. O que o home office tem mudado nas empresas Como o home office tem mudado o trabalho no Brasil

Google estende trabalho remoto até julho de 2021 como opcional
Decisão foi motivada pela pandemia do coronavírus e afetará quase todos os funcionários em tempo integral ou contratados pela empresa matriz Alphabet, cerca de 200.000 no total. Logotipo do Google estampa parede do escritório da empresa em Tel Aviv, em Israel. Baz Ratner / Reuters A gigante americana da internet Google estenderá até julho de 2021 o trabalho remoto de toda a sua equipe diante das perspectivas de evolução da pandemia de coronavírus, de acordo com informações do Wall Street Journal publicadas nesta segunda-feira (27). A decisão de ampliar o home office afetará quase todos os funcionários em tempo integral ou contratados pela empresa matriz Alphabet, cerca de 200.000 no total, afirmou o jornal, citando fontes próximas ao assunto. A informação foi confirmada pela empresa ao G1. Em um e-mail enviado para os funcionários esta manhã, o CEO do Google, Sundar Pichai, escreveu que "para oferecer aos funcionários a capacidade de se planejar com antecedência, estendemos a opção global de trabalho de casa até 30 de junho de 2021 para funções que não precisam estar no escritório." A recomendação prévia do Google era permitir que seus funcionários trabalhassem de casa até o final de 2020. A empresa ressalta que essa é uma medida opcional e afeta também os 1.000 empregados da companhia no Brasil. No momento, o Google ainda não tem previsão de reabertura de seu espaço no país. Segundo o Wall Street Journal, Pichai quer principalmente facilitar a situação para quem precisa estar com os filhos em casa, já que o funcionamento das escolas no começo do ano escolar e durante o resto do curso continua incerto em todas as partes do mundo. O que o home office tem mudado nas empresas Como o home office tem mudado o trabalho no Brasil