Urgente: Índia ordena investigação antitruste contra a Google

Google investigado por orgãos da índia é coisa séria!!!

0
48

O órgão antitruste da Índia ordenou uma investigação sobre a unidade Google, da Alphabet, por supostamente abusar da posição dominante de seu popular sistema operacional Android para bloquear rivais, disseram à Reuters duas fontes cientes do assunto.

A Comissão de Concorrência da Índia (CCI) no ano passado começou a investigar a queixa, que é similar a uma que o Google enfrentou na Europa e que resultou em uma multa de 4,34 bilhões de euros (US $ 5 bilhões) sobre a empresa, informou a Reuters em fevereiro.

Em meados de abril, a CCI decidiu que havia mérito nas acusações feitas na denúncia e ordenou que sua unidade de investigação lançasse uma investigação completa, disse uma das fontes com conhecimento direto do assunto.

Essa decisão, que foi confirmada pela segunda fonte, não foi relatada anteriormente e a ordem que chama a investigação completa não foi tornada pública.

“É um caso forte para o CCI, dado o precedente da UE”, disse a primeira fonte. “O CCI descobriu (preliminarmente) que o Google abusou de sua posição dominante”.

A investigação seria concluída em cerca de um ano e os executivos do Google provavelmente seriam convocados para comparecer perante o CCI nos próximos meses, disse a fonte.

O CCI não respondeu a um pedido de comentário.

Um porta-voz do Google disse que o Android permitiu que milhões de indianos se conectassem à internet, tornando os dispositivos móveis mais acessíveis. O Google ansiava por trabalhar com a CCI “para demonstrar como o Android levou a mais concorrência e inovação, e não menos”, disse o porta-voz em um comunicado.

A Reuters não conseguiu estabelecer quem fez a denúncia, o que envolve mais de uma pessoa.

VANTAGEM INJUSTA

Os detalhes precisos da denúncia contra o Google na Índia não puderam ser determinados, mas fontes disseram à Reuters que está exatamente na mesma linha do caso apresentado contra a empresa na Europa.

No caso da UE, os reguladores disseram que o Google forçou os fabricantes a pré-instalar a Pesquisa do Google e seu navegador Google Chrome, juntamente com sua loja de aplicativos do Google Play, em dispositivos Android, o que representa uma vantagem injusta.

O Google recorreu do pedido, mas, em uma tentativa de reprimir as preocupações antitruste da UE, no mês passado disse que seus usuários de dispositivos Android na Europa poderiam escolher navegadores e mecanismos de busca rivais. Depois que um usuário faz o download de um aplicativo de pesquisa rival, ele também solicita que ele altere o mecanismo de pesquisa padrão no navegador Google Chrome, se desejar.

O Android, usado gratuitamente pelos fabricantes de dispositivos, está presente em cerca de 88% dos smartphones do mundo. Na Índia, cerca de 99% dos smartphones vendidos neste ano usaram a plataforma, estima a Counterpoint Research.

Ainda é possível que a unidade de investigações da CCI possa limpar o Google de qualquer irregularidade. A quantia de multa que pode ser imposta ao Google se as regras da CCI forem contrárias não foi clara.

O regulador indiano tem poderes para impor uma penalidade de até 10% do volume de negócios relevante de uma empresa nos últimos três anos financeiros, se for constatado que ela abusou de sua posição dominante. Nesse caso, os ganhos do Google ligados ao seu navegador e mecanismo de busca poderiam ser considerados para avaliar a multa, disse Gautam Shahi, advogado antitruste de Nova Délhi.

O Google não divulga seus ganhos na Índia com seu navegador da Web ou mecanismo de pesquisa.

“Eles podem mudar sua conduta na Índia voluntariamente ou deixar a CCI investigar. A mudança voluntária na conduta pode ter um impacto no quantum de penalidade, se for imposta ”, disse Shahi.

A investigação indiana, no entanto, não é o único problema antitruste para a empresa com sede em Mountain View, Califórnia, em seu principal mercado.

No ano passado, a CCI impôs uma multa de 1,36 bilhões de rúpias (US $ 19,46 milhões) no Google por “viés de busca” e abuso de sua posição dominante. Ele também descobriu que o Google colocou sua função de busca comercial de voos em uma posição de destaque na página de resultados de pesquisa.

O Google recorreu dessa ordem, alegando que a decisão poderia causar danos “irreparáveis” e perda de reputação.